Como precificar projetos de arquitetura e design de interiores

4bricks     13/01/2016       

Precificar projetos de arquitetura e design de interiores é algo que muitos arquitetos, desde os recém-formados até os mais experientes, podem ter dificuldades em fazer. Como apresentar aos clientes um orçamento com valor justo e ao mesmo tempo acessível? Existem muitas dúvidas sobre qual método ideal deve ser utilizado para esse cálculo.

Como precificar projetos de arquitetura e design de interiores

Como não precificar projetos

A precificação em arquitetura é uma etapa muito importante do projeto, pois um orçamento realizado de forma negligente pode trazer prejuízos em duas esferas. A primeira seria por apresentar um preço muito abaixo do mercado, fazendo com que o profissional corra o risco de “pagar para trabalhar” ou ter lucros irrelevantes de acordo com a complexidade do trabalho. Outra condição que também poderia acarretar em prejuízos seria apresentar orçamentos com valores exagerados, o que facilmente afugentaria os clientes.

Métodos para cálculo de orçamento

Existem várias metodologias que podem ser utilizadas para calcular orçamentos de projetos arquitetônicos e design de interiores. A seguir, vamos comentar sobre alguns dos métodos mais utilizados para a precificação desses projetos. Fique atento e veja qual se adapta melhor ao seu perfil profissional.

Por metro quadrado

Um dos métodos mais utilizados para a precificação em design de interiores e projetos de arquitetura é fixando um valor por metro quadrado. Principalmente para projetos mais simples como prédios comerciais de pequeno porte e residências.

Pela tabela de honorários do IAB

Existe também a tabela de honorários do IAB – Instituto de Arquitetos Brasileiros, que geralmente é utilizada em projetos mais extensos e com alta complexidade, pois necessitam de cálculos mais aprofundados, que podem ser realizados com essa tabela. A utilização dessa tabela consiste em aplicar uma formula geral para a composição de preço, que leva em consideração a tipologia da edificação, a base de honorários, a metragem quadrada e o índice de complexidade do projeto. Todos esses dados podem ser definidos a partir dessa tabela.

Por Custo Unitário Básico – CUB

Há uma pequena porcentagem de profissionais que utilizam o CUB/m² para precificar projetos. A utilização desse método representa apenas o custo parcial de um projeto e não leva em consideração os custos adicionais. Por isso, quando utilizado, deve ser combinado com outras formas de precificação. A utilização desse método é estabelecida pela Lei 4591/64 e NBR-12721/2006. O calculo é realizado tendo como base os custos de materiais de construção, despesas administrativas, mão de obra e aluguel de equipamentos.

Por percentual

Essa metodologia é a mais utilizada internacionalmente e também muito indicada pelo IAB. Dessa forma, o profissional determina um valor percentual em cima do custo estimado da obra. É importante destacar que, de acordo com a complexidade do projeto, esse percentual aumenta ou diminui, podendo variar entre 2% e 15% sobre o valor da obra.

Por horas trabalhadas

Também existem profissionais e escritórios de arquitetura que determinam seus preços de acordo com a quantidade estimada de horas que serão gastas no projeto. O valor da hora é definido a partir do custo médio de uma hora trabalhada. Portanto, ao multiplicar o valor médio da hora pela quantidade estimada de horas, obtém-se o custo do projeto.

Acompanhamento de obras

Um arquiteto ainda tem a possibilidade de trabalhar com o acompanhamento da execução de obras. Segundo a revista Casa e Jardim, atualmente o valor da hora para ter um profissional de arquitetura acompanhando a execução de uma obra é de aproximadamente 250 reais. Geralmente é feita uma visita semanal à obra.

Diante de tantas maneiras para precificar projetos de arquitetura ou design de interiores, muitos profissionais ficam indecisos na hora de decidir qual o método ideal para o seu trabalho. É imprescindível que arquitetos levem em consideração o tempo de experiência na função e quantidade de projetos realizados, pois esses fatores podem mudar drasticamente o custo de um projeto.

Compartilhe qual método você utiliza para precificar projetos! Deixe o seu comentário!

Compartilhe isso