Como é a rotina de um arquiteto autônomo?

4bricks     17/05/2016       

Atualmente os profissionais buscam um emprego que ofereça não só boa remuneração, como também qualidade de vida. Por isso, muitas pessoas optam por não trabalhar mais em escritórios e empresas, preferindo o modelo laboral autônomo. Isso também ocorre com os arquitetos. No entanto, essa rotina de trabalho ainda gera dúvidas. Veja se vale a pena ser um arquiteto autônomo e conheça as dificuldades do dia a dia desse profissional.

Como é a rotina de um arquiteto autônomo?

Vantagens de ser autônomo

Ser um arquiteto autônomo está se tornando uma opção cada vez mais viável para os novos profissionais ou mesmo para aqueles com experiência, mas que estão cansados da rotina empresarial. Esse modelo de trabalho oferece diversas vantagens, como flexibilidade de horários, possibilidade de criar projetos diferentes, de poder aceitar ou recusar determinados trabalhos etc.

Porém, antes de começar é importante que o profissional já tenha, pelo menos, um trabalho concluído. Assim, é possível obter diversas indicações, o que fará com que novos projetos apareçam. Também é preciso pensar na montagem do escritório, que exige investimentos.

Além disso, é importante dizer que o arquiteto autônomo não precisa focar necessariamente no planejamento e execução de projetos. Ele também pode se tornar um consultor, especializando-se, por exemplo, em uma necessidade ou demanda específica, como acessibilidade ou paisagismo.

Rotina de um arquiteto autônomo

Existem muitas vantagens em optar por ser um arquiteto autônomo, mas é necessário ter atenção à rotina. Ao trabalhar por conta, o profissional precisa ser muito organizado e cuidar também da vida pessoal. Veja alguns elementos que devem ser considerados:

#1: As finanças

A primeira questão da rotina do arquiteto autônomo é a disciplina financeira. Utilizar softwares ou planilhas para controlar gastos, verificar a necessidade de recursos e monitorar os recebimentos é a melhor maneira de garantir que os projetos trarão lucro e estão sendo bem orçados.

#2: Vida pessoal x vida profissional

O segundo elemento a ser considerado é o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional. É natural que os autônomos desenvolvam uma tendência a trabalhar cada vez mais. Isso ocorre pela ânsia de conseguir mais dinheiro ou ate mesmo pela falta de noção de quantos projetos podem ser pegos simultaneamente. Porém, incorrendo nesse erro, a vida pessoal vai sofrer. O ideal é calcular quanto tempo se leva para cada atividade e estimar quantos projetos podem ser pegos para se trabalhar apenas o necessário e o desejado.

#3: Conquista de clientes

Ao optar por este caminho, o profissional precisará ir atrás dos clientes para conseguir fechar projetos. Uma ideia é apostar nos blogs, sites e mídias sociais, tendo um profissional específico para gerenciar essas questões. O objetivo é divulgar projetos e lincar as informações para atrair mais clientes e conquistá-los, fechando novos projetos.

#4: Gestão do escritório

Para ser um arquiteto autônomo é obrigatório fazer a gestão do escritório e avaliar todas as questões burocráticas relativas a ele. Por isso, é necessário se formalizar (como empresa ou como autônomo), recolhendo impostos e a contribuição do INSS. Também é preciso lembrar de fazer a declaração do Imposto de Renda, mantendo o escritório na legalidade. Nesse sentido, ter um contador de confiança é importantíssimo, porque ele poderá analisar as questões tributárias da empresa.

Dicas para ser um arquiteto autônomo

Ao pensar em adotar esse modelo de trabalho, é recomendável que o arquiteto tenha um montante de dinheiro guardado (que será útil em caso de imprevistos) e procure por clientes, socializando sempre que houver uma oportunidade.

Também é necessário pensar em um orçamento para estratégias de marketing e para participar de concursos, além de outras ações que poderão trazer mais visibilidade. Nesse sentido, a internet é uma grande aliada, que pode trazer resultados muito positivos.

Por fim, aliar-se a escritórios maiores ou a um grupo de arquitetos é uma oportunidade interessante, que pode trazer um bom retornos financeiros e reconhecimento profissional mais rápido.

Se você está pensando em ser um arquiteto autônomo, mas ainda tem dúvidas sobre como proceder, deixe seu comentário que entraremos em contato.

Compartilhe isso